12 de agosto de 2012

Inanimate



Inanimate

Na mais vasta e gélida escuridão
Encontra-se o mais profundo do meu ser
Que a solidão nunca a abandonará
E essa alma da inanimada
Cheia de tristeza
Não mais se convence a lutar
Perambulando por espaços
Tomados de dor
Sem realmente saber o que encontrar.

Bem estranha posso parecer
Talvez porque eu seja!
E se toda essa tristeza que me habita
Faz me sentir-se bem
É porque já me acostumei.

Todo o resto não importa mais
São sobras de uma vida mal vivida
Tão jovem e tão retraída
E com a morte me vem a melhor saída.

By: Aline Cordeiro
                                                                                                                             

                                     


4 comentários:

  1. lindos seus poemas. É você quem faz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Sim,sou eu que os escrevo.
      Volte sempre! *-*

      Excluir
  2. Oi, Alineh! Como vai?
    Gostei muito de seu poema!
    Me identifico com estas palavras^^"
    Tenha um ótimo fim de semana! Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, vou bem e você?
      Obrigada! É sempre bom quando as pessoas se identificam, por saber que não sou a única que sinto isso!
      Beijos e volte sempre! *-*

      Excluir